Toponímia referida na cantiga:
  (linha 4)

Afonso Anes do Cotom, Pero da Ponte


- Pero da Ponte, ou eu nom vejo bem,      ←
ou [de] pram essa cabeça nom é      ←
 a que vós antano, per boa fé,      ←
levastes, quando fomos a Jeen;      ←
5e cuido-m[e] eu [que] adormecestes      ←
e roubador ou ladrom [...]      ←
  
- A[fons'Eanes]..................      ←
  
- P[ero da Ponte]......................      ←
  
- A[fons'Eanes]..................      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Desta composição de Afonso do Cotom só nos chegaram, infelizmente, os seis versos da primeira estrofe. Mas, dado que num dos manuscritos (B), no espaço em branco que segue estes versos, se lêm claramente as iniciais das restantes estrofes, e essas iniciais correspondem aos nomes do próprio Afonso Eanes (A) e de Pero da Ponte (P), a hipótese mais provável é a de que se trataria de uma tenção entre os dois.
Sobre o tema dessa tenção, estes seis versos não nos permitem entender grande coisa. É possível que a mudança na cabeça de Pero da Ponte referida por Cotom se relacione com algum "enfeite" que, de noite, alguém lhe tivesse oferecido (um par de cornos). Mas a referência a Jaén parece indicar que, eventualmente, Afonso do Cotom poderia também estar aqui a pôr jocosamente em causa o comportamento militar de Pero da Ponte aquando da tomada da cidade pelo infante Afonso (futuro Afonso X). Como essa conquista se deu em 1246, a composição deverá datar desse ano ou ser pouco posterior.



Nota geral


Descrição

Tenção
Fragmento
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1615, V 1148
(C 1616)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1615

Cancioneiro da Vaticana - V 1148


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas