Pero Garcia de Ambroa

Rubrica:

Esta outra cantiga fez Pero d'Ambroa a Pero d'Armea por estoutra de cima que fezera


Pero d'Armea, quando composestes
o vosso cu, que tam bem parescesse,
e lhi revol e concela posestes,
que donzela de parescer vencesse,
5e sobrancelhas lhi fostes põer
- tod'est', amigo, soubestes perder
polos narizes, que lhi nom posestes.
  
E, Dom Pedro, põede-lh'os narizes,
ca vos conselh'eu o melhor que posso;
10e matarei ũũ par de perdizes,
que atam bel cuu com'esse vosso,
ainda que o home queira buscar,
que o nom possam em toda a terra achar
de Sam Fagundo atá Sam Felizes.
  
15E, Dom Pedro, os beiços lh'er põede
a esse cu, que é tam bem barvado,
e o granhom bem feito lhi fazede
e faredes o cu bem arrufado;
e punhade logo de o encobrir,
20ca, se vejo Dom Fernand'Escalho vir,
sodes solteiro, e seredes casado.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Como nos indica a rubrica que acompanha a composição, esta cantiga deve ser lida na sequência de uma outra de Pero d´Armea, na qual o jogral enfeita o seu traseiro de forma a ganhar a palma ao rosto de uma donzela. Pero d´Ambroa faz aqui uma glosa-comentário a essa composição de Pero d´Armea, acrescentando um pormenor: ao retrato só lhe faltaria o nariz (que funciona talvez aqui com um sentido equívoco). O perigo de tanta beleza pode, no entanto, vir de Fernando Escalho, que gosta desse tipo de coisas.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1603, V 1135
(C 1603)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1603

Cancioneiro da Vaticana - V 1135


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas