Afonso Anes do Cotom


Bem me cuidei eu, Maria Garcia,
em outro dia, quando vos fodi,
que me nom partiss'en de vós assi
como me parti já, mão vazia,
5vel por serviço muito que vos fiz,
que me nom destes, como x'homem diz,
sequer um soldo que ceass'um dia.
  
Mais desta seerei eu escarmentado:
de nunca foder já outra tal molher
10se m'ant'algo na mão nom poser,
ca nom hei porque foda endoado;
e vós, se assi queredes foder,
sabedes como: ide-o fazer
com quem teverdes vistid'e calçado.
  
15Ca me nom vistides nem me calçades,
nem ar sej'eu eno vosso casal;
nem havedes sobre mim poder tal
por que vos foda, se me nom pagades
ante mui bem; e mais vos en direi:
20nulho medo, grado a Deus e a el-rei,
nom hei de força que me vós façades.
  
E, mia dona, quem pregunta nom erra
- e vós, por Deus, mandade preguntar
polos naturaes deste lugar
25se foderam nunca, em paz nem em guerra,
ergo se foi por alg'ou por amor.
Id'adubar vossa prol, ai senhor,
ca vedes: grad'a Deus, rei há na terra.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Mais uma cantiga nos antípodas do amor cortês: agora é Cotom quem se sente no direito de ser pago pelos serviços prestados a esta Maria Garcia, jurando que fazer serviços de graça, nunca mais. A cantiga tem dois pormenores curiosos: o primeiro é, no final da terceira estrofe, a afirmação de que não tem medo da "força" que ela lhe faça, ou seja, de ser violado; o segundo, na última estrofe, a afirmação de que as pessoas só praticam o ato sexual por dois motivos, dinheiro ou amor - maneira subtil de enquadrar realisticamente as relações entre ambos.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1588, V 1120

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1588

Cancioneiro da Vaticana - V 1120


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Ben me cuidei eu Maria Garcia      versão audio disponível

Versão de Xurxo Romaní, Koichi Tanehashi