Antroponímia referida na cantiga:
  (linha 1)

Afonso Anes do Cotom


 Mari'Mateu, ir-me quer'eu daquém,      ←
porque nom poss'um cono baratar:      ←
alguém que mi o daria nõn'o tem,      ←
e algu[é]m que o tem nom mi o quer dar.      ←
5       Mari'Mateu, Mari'Mateu,      ←
       tam desejosa ch'és de cono com'eu!      ←
  
E foi Deus já de conos avondar      ←
aqui outros, que o nom ham mester,      ←
e ar feze-os muito desejar      ←
10a mim e ti, pero que ch'és molher.      ←
       Mari'Mateu, Mari'Mateu,      ←
       tam desejosa ch'és de cono com'eu!      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Uma das mais obscenas cantigas do cancioneiro satírico, chufa à homossexualidade feminina na pessoa de Maria Mateu, certamente uma soldadeira.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1583, V 1115

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1583

Cancioneiro da Vaticana - V 1115


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas