Cantiga referida em nota
  (linha 30)

Pero Garcia de Ambroa


Sabedes vós: meestre Nicolao,
 (o que antano mi nom guareceu,
aquel que dizedes meestre mao)
vedes que fez, per ervas que colheu:
 5do vivo mort'e do cordo sandeu,
e faz o ceg'adestrar pelo pao.
  
E direi-vos eu doutra maestria
 que aprendeu ogan'em Mompiler:
nom vem a el home com maloutia
10de que nom leve o mais que poder.
E diz: - Amigo, esto t'é mester:
vem a dar-mi algo d'ôi a tercer dia.
  
 Ca bem vi eu ena ta catadura
 que és doent'e quer[es] já guarir;
15e aqueste mal, que te tanto dura,
ora to quero eu mui bem departir:
se dest'enverno mi hás a sair,
já nom guarrás meos da caentura.
  
E outra rem te direi, meu irmão:
20se meu conselho quiseres creer,
ou se quiseres que em ti meta mão,
dá-me quant'hás e poderes haver;
ca, des que eu em ti mão meter,
serás guarido, quando fores são.
  
 25E nom sabemos, dê'los tempos d'ante,
tam bom meestre, pois aqui chegou,
que tam bem leve seu preç'adeante,
per maestrias grandes que usou:
faz que nom fal'o que nunca falou
30e faz do manco que se nom levante.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Troça a Mestre João Nicolás, físico de Afonso X, com quem vários trovadores se meteram (nomeadamente Afonso Eanes do Cotom e Gonçalo Eanes do Vinhal). O retrato que aqui nos traça Pero d´Ambroa é o do típico médico charlatão e ganancioso - retrato que seria certamente mais jocoso do que realista.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1577

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1577


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas