Cantiga referida em nota
  (linha 21)

Estêvão Faião

Rubrica:

Stêvam Faiam fez esta cantiga d’escarnh’e de maldizer. E diz assi:


Fernam Diaz, fazem-vos entender
que casaríades desta dona bem;
 e nós teemos que vos é mal sem,
per quant'est o que vos quero dizer:
5porque a dona é de terra tal,
Dom Fernando, que per bem nem per mal
nom poderedes i um hom'haver.
  
Ante faredes i vosso prazer
em quererdes com tal dona casar,
 10Fernam Dias! Ca é de [tal] logar
que nom podedes, per nẽum poder,
haver nulh'home; ca as gentes som
de tal natura, se Deus mi perdom,
que nom querram i su vós guarecer.
  
15E sei, Dom Fernando, per quant'aprendi,
nom poderedes esta dona haver,
ca seus vassalos, com'ouço dizer,
nom querem hom'estranho sobre si:
ca dizem que sabedes lousinhar
20home deant'e sabedes buscar
gram mal detrás a muitos, com'.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Nova sátira contra Fernão Dias, personagem várias vezes escarnecido pela sua alegada homossexualidade. Estêvão Faião junta-se, nesta sua única cantiga de escárnio, aos que ironizam sobre o seu alegado casamento. Aqui o trovador "alerta-o" para o facto de a noiva ser de uma terra onde lhe será difícil encontrar um homem que se queira pôr ao seu serviço.
Quanto ao eventual contexto político destas sátiras a Fernão Dias, veja-se a Nota Geral a uma cantiga de Airas Peres de Vuitorom.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1561
(C 1561)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1561


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas