Antroponímia referida na cantiga:
  (linha 6)

João Airas de Santiago


  U, com Dom Beeito, aos preitos veerom,      ←
cuspirom as donas e assi disserom:      ←
       - Talhou Dom Beeito      ←
       aqui o feeito.      ←
  
5E pois que houveram já feita sa voda,      ←
cuspiram as donas, e diz Dona Toda:      ←
       - Talhou Dom Beeito      ←
       aqui o feeito.      ←
  
Todas se da casa com coita saíam      ←
10e iam cuspindo todas e diziam:      ←
       - Talhou Dom Beeito      ←
       aqui o feeito.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Terceira cantiga contra D. Beito (vide as anteriores), esta de interpretação ainda mais difícil. Como avança Lapa1, ela parece aludir "a superstições populares a propósito do casamento" do visado. Cuspindo no chão, as mulheres auguravam um enlace pouco venturoso" - no que será talvez uma alusão ao seu futuro destino de marido enganado.

Referências

1 Lapa, Manuel Rodrigues (1970), Cantigas d´Escarnho e de Maldizer dos Cancioneiros Medievais Galego-Portugueses, 2ª Edição, Vigo, Editorial Galaxia.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1465, V 1075

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1465

Cancioneiro da Vaticana - V 1075


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas