Toponímia referida na cantiga:
  (linha 2)

Pedro, conde de Barcelos

Rubrica:

       

Esta cantiga suso scrita, que se começa "Martim Vaasquez noutro dia", fez o Conde a um jograr que havia nome Martim Vaasquez e preçava-se que sabia d'estrelosia e nom sabia en nada; e colheu aí vaidade na mão ca havia d'haver igreja de mil libras ou de mil e quinhentas; e mandou fazer corõa e rossou a barva e foi-se aalém Doiro e nom houve nemigalha; e o Conde fez-lhi esta cantiga.


Martim Vásquez, noutro dia,      ←
 u estava em Lixboa,      ←
mandou fazer gram coroa:      ←
 ca viu per estrologia      ←
5que haveria igreja      ←
grande, qual a el deseja,      ←
de mil libras em valia.      ←
  
E diz que viu na estrela,      ←
pero que a nom demande,      ←
10d'haver igreja mui grande,      ←
ca nom igreja mesela;      ←
 ca da pequena nom cura,      ←
ca lhe seria loucura      ←
del haver a curar dela.      ←
  
15E diz que viu [e]na lũa      ←
que haveria, sem contenda,      ←
igreja de mui gram renda,      ←
ca nom pequena e nũa;      ←
e porque lhe vai tardando,      ←
20el vai-se muito agravando,      ←
porque lhe nom dam nẽũa.      ←
  
El acercou na espera      ←
qual planeta tem por certa,      ←
que lh'outorga, sem referta      ←
25[...]      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Como Estêvão da Guarda, também D. Pedro troça deste clérigo astrólogo, a quem as previsões de arranjar uma boa paróquia saíram goradas. A cantiga está incompleta.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1432, V 1042

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1432

Cancioneiro da Vaticana - V 1042


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas