Pesquisa no glossário
  (linha 2)

João Servando


Comerom [os] infanções, em outro dia,      ←
apartados, na feira de Santa Maria,      ←
e derom-lhi linguados por melhoria,      ←
que nunca vi tam poucos, des que naci.      ←
5       Eu cõn'os apartados fui entom i      ←
        apartado da vida, e nom comi.      ←
  
Direi-vos como forom i apartados:      ←
 deram-lhis das fanegas e dos pescados      ←
atanto, per que forom mui lazerados,      ←
 10que, des quando foi nado, nunca chus vi.      ←
       Eu cõn'os apartados fui entom i      ←
       apartado da vida, e nom comi.      ←
  
 Apartarom-se eles, por comer bem,      ←
melhor que comeriam em almazém;      ←
  15e pois, quando s'erger nom podiam en,      ←
 tirar[om] mui bem as pernas cara si.      ←
       Eu cõn'os apartados fui entom i      ←
       apartado da vida, e nom comi.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Mais uma cantiga um tanto sibilina, dirigida a um grupo de infanções pelintras, abordando o habitual tema das suas parcas refeições. A composição, girando à volta do pouco peixe que eles comiam numa feira, joga sobretudo com o termo apartados, cujo sentido não é bem claro. À primeira vista o termo parece indicar que comiam longe de todos, talvez para não terem de partilhar a comida comum (como parece depreender-se da terceira estrofe). No entanto, é também possível que, oralmente, houvesse um equívoco com "apertados", no sentido de "em apuros de dinheiro", ou sovinas.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

V 1029

Cancioneiro da Vaticana - V 1029


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas