Cantiga referida em nota
  (linha 21)

Pero Garcia Burgalês


 Fernand'Escalho leixei mal doente
com olho mao, tam coitad'assi
que nom guarrá, cuid'eu, tam mal se sente,
per quant'hoj'eu de Dom Fernando vi:
5ca lhi vi grand'olho mao haver,
e nom cuido que possa guarecer
dest'olho mao, tant'é mal doente.
  
E o maestre lhi disse: - Dormistes
com aquest'olho mao; e por en,
10Dom Fernando, nom sei se vó'lo oístes:
"quem se nom guarda, non'o preçam rem";
por en vos quer'eu ũa rem dizer já:
se guarides, maravilha será,
deste olho mao velho que teedes.
  
15Ca conhosc'eu mui bem que vós havedes
 olho mao, mesto com cadarrom;
e deste mal guarecer nom podedes
tam ced', e direi-vos por que nom:
ca vós queredes foder e dormir;
20por esto sodes mao de guarir
dest'olho mao velho que havedes.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Esta cantiga e a que imediatamente a segue nos mss. são dirigidas a Fernando Escalho (na seguinte apresentado como cantor), e versam novamente o tema da homossexualidade. Nesta primeira, Pero Garcia Burgalês apresenta-no-lo como doente de mau olhado, fazendo todo um jogo equívoco que a expressão olho mau possibilita (incluindo a alusão a doenças venéreas).



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
Dobre: imperf. (vv. 1, 7, em I e III):
mal doente, havedes
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1376, V 984

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1376

Cancioneiro da Vaticana - V 984


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas