Antroponímia referida na cantiga:
  (linha 1)

Martim Soares


Joam Fernandéz, que mal vos talharom      ←
essa saia que tragedes aqui,      ←
que nunca eu peior talhada vi;      ←
 e sequer muito vo-la escotarom:      ←
  5ca lhi talharom cabo do girom;      ←
muit'i é corta, si Deus me perdom,      ←
porque lhi cabo do girom talharom.      ←
  
E porque vos lhi talharom atanto      ←
o girom, vo-la talharom mal,      ←
 10Joam Fernández; ar direi-vos al:      ←
pois que dela nom tragedes o manto,      ←
saia tam curta nom convém a vós,      ←
ca muitas vezes ficades em cós      ←
 e faz-vos peior talhado já quanto.      ←
  
15Nom vos vestides de saia, guisado,      ←
pois que a corta queredes trager,      ←
 ante fazedes i vosso prazer;      ←
ca na corta sodes vós mal talhado      ←
e a longa estar-vos-ia bem;      ←
20e a mui corta, senher, nom convém      ←
a vós, que sodes cortês e casado.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Nova cantiga contra o "mouro" João Fernandes, já antes satirizado pelo trovador. O equívoco centra-se agora em volta da expressão "talhar a saia" (talhar, cortar o saio), que deverá aludir novamente, numa segunda leitura, à circuncisão. A troça terá ainda a ver com o facto de João Fernandes não ser propriamente um Adónis (como nos informa a rubrica de uma outra cantiga, de Afonso Eanes do Cotom, que explicita que ele era "mal talhado", mal feito).



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1370, V 978

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1370

Cancioneiro da Vaticana - V 978


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas