Martim Soares

Rubrica:

Esta outra fez a um escudeiro, de pequeno logo; e diziam-lhi Albardam e fez-lh'estes cantares d'escarnh'e de maldizer e diss' assi.


Houv'Albardam caval'e seendeiro
e cuidava cavaleiro seer;
quando eu soub'estas novas primeiro,
maravilhei-m'e non'o quis creer;
5fiz dereito, ca nom vi fazer,
des que naci, d'albardam cavaleiro.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Como nos indica a rubrica, esta cantiga e a seguinte são dirigidas a um escudeiro com pretensões a fidalgo, e jogam essencialmente com o seu nome ou alcunha. De facto, Albardam é, conjuntamente, o aumentativo de albarda (para montar burros) e um termo de origem árabe significando "tolo, chocho" (talvez raíz do nosso atual "aldrabão").
Note-se que a expressão da rubrica "de pequeno logo" se deverá referir ao próprio trovador e não ao escudeiro visado na cantiga - e será, pois, uma indicação da precocidade dos dotes poéticos de Martim Soares, acerca do qual a rubrica de uma outra composição nos diz que trobou melhor ca tôdolos trobarom e assi foi julgado antr´os outros trobadores.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1360, V 968

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1360

Cancioneiro da Vaticana - V 968


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas