Toponímia referida na cantiga:
  (linha 3)

Estêvão da Guarda


 Alvar [Rodriguiz] vej'eu agravar      ←
 porque se sent'aqui menguad'andar      ←
 e tem que lh'ia melhor além mar      ←
que lhe vai aqui, u nasceu e criou;      ←
5e por esto diz que se quer tornar      ←
       u, gram temp'há, serviu e afanou.      ←
  
 Tem el que faz dereit'em se queixar,      ←
pois lhe nom val servir e afanar,      ←
nem pod'aqui conselho percalçar      ←
10com'além mar, per servir, percalçou;      ←
por en quer-s'ir a seu tempo passar      ←
       u, gram temp'há, serviu e afanou.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Segunda do conjunto de cinco cantigas que Estêvão da Guarda dedica a Álvaro Rodrigues, que aqui encontramos exprimindo o desejo de voltar para Além-Mar, o Norte de África, onde a vida lhe teria corrido bem. A cantiga poderá estar incompleta e é muito provável que as alusões pudessem dizer novamente respeito à sua atração pelo Islão, sobretudo no que toca aos costumes sexuais correspondentes (a circuncisão).
Acrescente-se que o Conde D. Pedro de Barcelos dirige também uma cantiga a esta mesma personagem.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras uníssonas
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1301, V 906

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1301

Cancioneiro da Vaticana - V 906


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas