Fernão do Lago


D'ir a Santa Maria do Lag'hei gram sabor
e pero nom irei alá, se ant'i nom for,
       irmana, o meu amigo.
  
D'ir a Santa Maria do Lag'é-mi gram bem
5e pero nom irei alá, se ant'i nom vem,
       irmana, o meu amigo.
  
Gram sabor haveria [e]no meu coraçom
d'ir a Santa Maria, se i achass'entom,
       irmana, o meu amigo.
  
10Já jurei noutro dia, quando m'ende parti,
que nom foss'a la ermida, se ante nom foss'i,
       irmana, o meu amigo.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Tradicional cantiga de santuário: a moça diz à sua irmã que quer ir à ermida de Santa Maria do Lago, mas só irá se souber antes que o seu amigo também lá estará.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1288, V 893
(C 1287)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1288

Cancioneiro da Vaticana - V 893


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas