Toponímia referida na cantiga:
  (linha 8)

Martim de Ginzo


Como vivo coitada, madre, por meu amigo,      ←
  ca m'enviou mandado que se vai no ferido;      ←
       e por el vivo coitada.      ←
  
Como vivo coitada, madre, por meu amado,      ←
5ca m'enviou mandado que se vai no fossado;      ←
       e por el vivo coitada.      ←
  
Ca m'enviou mandado que se vai no ferido,      ←
eu a Santa Cecilia de coraçom o digo:      ←
       e por el vivo coitada.      ←
  
10Ca m'enviou mandado que se vai no fossado,      ←
eu a Santa Cecilia de coraçom o falo:      ←
       e por el vivo coitada.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

A donzela dá conta à sua mãe da tristeza em que vive desde que o seu amigo lhe mandou dizer que vai partir para a guerra.
A referência a Santa Cecília que é feita nas duas estrofes finais aparece igualmente nas quatro cantigas seguintes do jogral, e ainda numa outra, pelo que é possível que as oito composições que nos chegaram de Martim de Ginzo funcionassem em conjunto, como um ciclo.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão e Paralelística
Cobras alternadas
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1270, V 876
(C 1270)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1270

Cancioneiro da Vaticana - V 876


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas