Golparro


Mal faç'eu, velida, que ora nom vou
veer meu amigo, pois que me mandou
que foss'eu com el ena sagraçom,
fazer oraçom a Sam Treeçom;
5       d'ir hei coraçom
       a Sam Treeçom.
  
E nom me devedes, mia madr', a guardar,
ca, se lá nom for, morrerei com pesar
..................................
10ca, u s'el ia, disse-m'esta razom:
       d'ir hei coraçom
       a Sam Treeçom.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

A moça lamenta não poder ir à sagração da ermida de S. Terson (em Tui), como o amigo lhe tinha pedido. Na verdade, como se depreende da 2ª estrofe, ela espera ainda que a sua mãe deixe de a manter encerrada e lhe permita ir onde ambos desejam, e de todo o coração.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1266, V 872
(C 1266)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1266

Cancioneiro da Vaticana - V 872


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas