Toponímia referida na cantiga:
  (linha 8)

Martim Padrozelos


- Amig', havia queixume      ←
de vós, e quero-mi-o perder,      ←
pois veestes a meu poder.      ←
- Ai mia senhor e meu lume,      ←
5       se de mim queixum'havedes,      ←
       por Deus, que o melhoredes.      ←
  
- Tant'era vossa queixosa      ←
que jurei em Sam Salvador      ←
que nunca vos fezess'amor.      ←
10- Ai mia senhor mui fremosa,      ←
       se de mim queixum'havedes,      ←
       por Deus, que o melhoredes.      ←
  
- Amig', em poder sodes meu,      ←
se m'eu de vós quiser vingar,      ←
15mais quero-mi vos perdoar.      ←
- Ai senhor, por al vos rog'eu:      ←
       se de mim queixum'havedes,      ←
       por Deus, que o melhoredes      ←
  
de mim, que mal dia naci,      ←
20senhor, se vo-lo mereci.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Diálogo no qual a moça diz ao seu amigo que tinha queixas dele, mas está disposta a esquecê-las e a perdoar-lhe, uma vez que ele voltou à sua obediência (o vocabulário é o das relações feudais: como um vassalo deve obedecer ao seu senhor). E o amigo, utilizando o tom e a terminologia das cantigas de amor, pede-lhe, por Deus, que melhore a opinião que dele tem, porque as queixas são imerecidas.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão, Dialogada
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1240, V 845

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1240

Cancioneiro da Vaticana - V 845


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

[Amiga avia queixume de vós] 

Versão de Tomás Borba