Martim de Caldas


Foi-s'um dia meu amigo daqui
trist'e coitad'e muit'a seu pesar
porque me quis del mia madre guardar;
mais eu fremosa, des que o nom vi,
5       nom vi depois prazer de nulha rem,
       nem veerei jamais, se m'el nom vem.
  
Quando s'el houve de mi a partir,
chorou muito dos seus olhos entom
e foi coitado no seu coraçom;
10mais eu fremosa, por vos nom mentir,
       nom vi depois prazer de nulha rem,
       nem veerei jamais, se m'el nom vem.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Desde que o seu amigo se foi embora, triste e magoado porque a sua mãe a impediu de se verem, a donzela nunca mais teve prazer com nada, garante. E nem terá, enquanto ele não regressar.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1196, V 801

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1196

Cancioneiro da Vaticana - V 801


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas