Pesquisa no glossário
  (linha 6)

Juião Bolseiro


 Nom perdi eu, meu amigo, des que me de vós parti,      ←
 do meu coraçom gram coita, nem gram pesar, mais perdi      ←
       quanto tempo, meu amigo,      ←
       vós nom vivestes comigo.      ←
  
5Nem perderam os olhos meus chorar nunca, nem eu mal,      ←
des que vos vós daqui fostes, mais vedes que perdi al:      ←
       quanto tempo, meu amigo,      ←
       vós nom vivestes comigo.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Se a donzela nunca perdeu a tristeza, o desalento, o choro ou a dor desde que se separou do seu amigo, uma coisa ela perdeu: o tempo que não viveu perto dele.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1180, V 785

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1180

Cancioneiro da Vaticana - V 785


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas