Toponímia referida na cantiga:
  (linha 6)

Rui Martins do Casal


Muit'hei, ai Amor, que te gradescer      ←
por que quiseste comigo morar      ←
e nom me quiseste desemparar      ←
 atá que vem meu lum'e meu prazer      ←
5       e meu amigo, que se foi andar      ←
        a Granada por meu amor lidar.      ←
  
Amor, gradesco-[te] mais doutra rem      ←
des que se foi meu amigo daqui      ←
que te nom quiseste partir de mim      ←
10atá que veo meu lum'e meu bem      ←
       e meu amigo, que se foi andar      ←
       a Granada por meu amor lidar.      ←
  
Nunca prenderei de ti queixume,      ←
ca nun[ca] fuste de mim partido      ←
15pois meu amigo foi daquend'ido      ←
atá que vem meu bem e meu lume      ←
       e meu amigo, que se foi andar      ←
       a Granada por meu amor lidar.      ←
  
Pois me quiseste tam bem aguardar,      ←
20por Deus, nom me leixes sem ti morar.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Na sequência da cantiga anterior, a moça agradece agora ao Amor ter ficado a seu lado durante o tempo em que o seu amigo (a sua luz e o seu bem) lutava com os mouros de Granada.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1163, V 766

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1163

Cancioneiro da Vaticana - V 766


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas