João Zorro


 El-rei de Portugale
barcas mandou lavrare,
        e lá irá nas barcas sigo,
       mia filha, o voss'amigo.
  
5El-rei portugueese
barcas mandou fazere,
       e lá irá nas barcas sigo,
       mia filha, o voss'amigo.
  
Barcas mandou lavrare
10e no mar as deitare,
       e lá irá nas barcas sigo,
       mia filha, o voss'amigo.
  
Barcas mandou fazere
e no mar as metere,
15       e lá irá nas barcas sigo,
       mia filha, o voss'amigo.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O rei de Portugal mandou fazer e lançar ao mar barcas novas e nelas levará o vosso amigo - diz a mãe à donzela. A composição é como um eco, em voz feminina, da cantiga, em voz masculina (a do construtor dos navios, provavelmente o próprio D, Dinis) que os cancioneiros transcrevem imediatamente antes.
O refrão da cantiga levanta sérios problemas de edição, que discutimos na nota de leitura (L) inserida à margem da sua primeira ocorrência,



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão e Paralelística
Cobras alternadas
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1153, V 755

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1153

Cancioneiro da Vaticana - V 755


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas