João Servando


A Sam Servand', u ora vam todas orar,
madre velida, por Deus vim-vo-lo rogar
       que me leixedes alá ir
       a Sam Servand'e, se o meu amigo vir,
5       leda serei, por nom mentir.
  
Pois mi dizem do meu amigo ca i vem,
madre velida e senhor, faredes bem
       que me leixedes alá ir
       a Sam Servand'e, se o meu amigo vir,
10       leda serei, por nom mentir.
  
Pois todas i vam de grado oraçom fazer,
madre velida, por Deus venho-vo-lo dizer
       que me leixedes alá ir
       a Sam Servand'e, se o meu amigo vir,
15       leda serei, por nom mentir.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

A donzela pede educadamente à mãe para a deixar ir com as outras orar a S. Servando, acrescentando que não pode negar que ficaria alegre, se "por acaso" visse o seu amigo por lá.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1147, V 739
(C 1147)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1147

Cancioneiro da Vaticana - V 739


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas