Pero de Ver


- Vejo-vos, filha, tam de coraçom
 chorar tam muito que hei en pesar
e venho-vos por esto preguntar
que mi digades, se Deus vos perdom,
5       por que mi andades tam trist'e chorando.
       - Nom poss'eu, madre, sempr'andar cantando.
  
- Nom vos vej'eu, filha, sempre cantar
mais chorar muit'e creo que por en
algum amigo queredes gram bem,
10e dized'ora, se Deus [vos] ampar,
       por que mi andades tam trist'e chorando.
       - Nom poss'eu, madre, sempr'andar cantando.



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Neste diálogo, a mãe pergunta à filha por que razão anda sempre a chorar (desconfiando que terá um amigo, como sugere na segunda estrofe) e ela, desviando a conversa, responde-lhe que nem sempre pode andar cantando.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão, Dialogada
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1134, V 725

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1134

Cancioneiro da Vaticana - V 725


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Non poso, eu, madre      versão audio disponível

Versão de Amancio Prada