Pero de Ver


Do meu amig', a que eu quero bem,
guardam-me del, e nom ouso per rem
       a Santa Maria ir,
  
pois guardam-me del, que o nom veja,
5e nom me leixam, per rem que seja,
       a Santa Maria ir;
  
que o nom visse, macar quisesse,
por en guisarom que nom podesse
       a Santa Maria ir;
  
10nen'o viss'eu nem o tant'amasse,
pois mi Deus deu quem me nom leixasse
       a Santa Maria ir;
  
des que o vi em Julham um dia,
já me nom leixam como soía
15       a Santa Maria ir.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

A moça lamenta que não a deixem ir à ermida de Santa Maria e que a impeçam de ver o seu amigo, por quem ficou enamorada desde o dia em que o encontrou na ermida de S. Julião.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1131/1132, V 723

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1131/1132

Cancioneiro da Vaticana - V 723


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas