Galisteu Fernandes


Dizem-mi ora que nulha rem nom sei
d'home coitado de coita d'amor,
e desta coita sõo sabedor
por aquesto que vos ora direi:
5       pela mia coita entend'eu mui bem
       quem há coita d'amor e que lh'avém:
  
há desejos e mui pouco prazer,
 ca 'ssi fiz eu, mui gram sazom há já,
por ũa dona que mi coita dá,
10e por aquesto vos venho dizer:
       pela mia coita entend'eu mui bem
       quem há coita d'amor e que lh'avém.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Contrariando os que dizem que ele não sabe o que é sofrer por amor, o trovador garante que, por experiência própria, sabe perfeitamente, não só o que é, mas os seus efeitos: quem ama tem muitos desejos e poucos prazeres.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1111, V 701
(C 1111)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1111

Cancioneiro da Vaticana - V 701


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas