João Baveca


Muitos dizem que gram coita d'amor
os faz em mais de mil guisas cuidar,
 e devo-m'eu dest'a maravilhar:
que por vós moir'e nom cuido, senhor,
5       senom em como parecedes bem,
       des i em como haverei de vós bem.
  
E se hoj'homem há cuidados, bem sei,
se per coita d'amor ham de seer,
que eu devia cuidados haver;
 10pero, senhor, nunca em al cuidei,
       senom em como parecedes bem,
       des i em como haverei de vós bem.
  
 Ca me coita voss'amor assi
 que nunca dórmi[o], se Deus mi perdom,
15e cuido sempre no meu coraçom,
pero nom cuid'[em] al, des que vos vi,
       senom em como parecedes bem,
       des i em como haverei de vós bem.
  
E d'amor sei que nulh'homem nom tem
 20en maior coita ca mi por vós vem.



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Se muitos dizem que as mágoas de amor os fazem pensar em mil coisas ao mesmo tempo, o trovador diz à sua senhora que, no seu caso, ele só consegue pensar em duas: na sua beleza, e na maneira de obter os seus favores.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1107, V 698

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1107

Cancioneiro da Vaticana - V 698


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas