Pedro Amigo de Sevilha


Dom Foão, em gram cordura,
moveu a mim preitesia
de partiçom, noutro dia;
mas fui de malaventura
5       porque com el nom parti:
       que penas veiras perdi!
  
Podera seer cobrado
por um mui gram tempo fero
se dissesse: - Partir quero!
10Mais enganou-m'o pecado
       porque com el nom parti:
        que penas veiras perdi!
  
Que panos perdi de peso
e outros bem bastoados
15que m'haviam já mandados!
Mais foi homem mal apreso
       porque com el nom parti:
       que penas veiras perdi!



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Sátira um pouco obscura sobre uma proposta de partilha de bens que um rico-homem teria feito a Pedro Amigo de Sevilha. Ironicamente, ele lamenta ter recusado a proposta, por não ter visto o que com ela ganharia - subentende-se, nada. São certamente as falsas promessas do rico-homem o que o trovador denuncia aqui.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1099, V 690

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1099

Cancioneiro da Vaticana - V 690


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas