Bernal de Bonaval


Por quanta coita me faz mia senhor
haver, nunca m'eu dela queixarei,
nem é dereito, ca eu mi o busquei.
Mais dereit'hei em me queixar d'Amor,
5       porque me fez gram bem querer
       quem mi o nom há de gradecer.
  
E nunca m'eu a mia senhor irei
queixar de quanta coita padeci
por ela, nem do dormir que perdi.
10Mais d'Amor sempr'a queixar m'haverei,
       porque me fez gram bem querer
       quem mi o nom há de gradecer.
  
Por quanta coita por ela sofri,
nom me lhi dev'a queixar com razom,
15mais queixar-m'-ei [e]no meu coraçom
d'Amor, a que nunca mal mereci,
       porque me fez gram bem querer
       quem mi o nom há de gradecer.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador nunca poderá queixar-se da sua senhora pelo seu sofrimento, já que foi ele que o escolheu. Culpa, sim, o Amor, por tê-lo feito amar quem nunca lhe agradecerá esse mesmo amor.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1071, V 662

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1071

Cancioneiro da Vaticana - V 662


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas