El-rei Dom Afonso de Castela e Leon

Tomás Borba, Compositor

Composição/Recriação moderna
Década de 20/30 do século XX

Ver pauta Ver pauta

Intervenientes

Compositor: Tomás Borba
Harpa/piano: Intérprete desconhecido
Canto : Intérprete desconhecido


Sem audio disponível


A versão musical nunca foi gravada

Cantiga original O que da guerra levou cavaleiros

O que da guerra levou cavaleiros
e a sa terra foi guardar dinheiros,
       nom vem al maio.
O que da guerra se foi com maldade
e a sa terra foi comprar herdade,
       nom vem al maio.
O que da guerra se foi com nemiga
pero nom veo quand'é preitesia,
       nom vem al maio.
O que tragia o pano de linho
pero nom veo polo Sam Martinho,
       nom vem al maio.
O que tragia o pendom [sem] cinco
e [e]no dedo seu pedra e vinco,
       nom vem al maio.
O que tragia o pendom sem oito
e a sa gente nom dava pam coito,
       nom vem al maio.
O que tragia o pendom sem sete
e cinta ancha e mui gram topete,
       nom vem al maio.
O que tragia o pendom sem tenda,
per quant'agora sei de sa fazenda,
       nom vem al maio.
O que se foi com medo dos martinhos
e a sa terra foi bever los vinhos,
       nom vem al maio.
O que com medo fugiu da fronteira,
pero tragia pendom sem caldeira,
       nom vem al maio.
O que [nom] roubou os mouros malditos
e a sa terra foi roubar cabritos,
       nom vem al maio.
O que da guerra se foi com espanto
e a sa terra ar foi armar manto,
       nom vem al maio.
O que da guerra se foi com gram medo
contra sa terra, espargendo vedo,
       nom vem al maio.
O que tragia pendom de cadarço,
macar nom veo en[o] mês de Março,
       nom vem al maio.
O que da guerra foi por recreúdo,
macar em Burgos fez pintar escudo,
       nom vem al maio.