Non me posso pagar tanto

Manuel Pedro Ferreira, Reconstrução da melodia

Contrafactum
1995/2007

Ver pauta Ver pauta

Intervenientes

Compositor: Afonso X
Reconstrução da melodia: Manuel Pedro Ferreira


Sem audio disponível


Contrafactum. Adaptação musical a partir da Cantiga de Santa Maria 132, publicada por Manuel Pedro Ferreira em "Alfonso X, compositor", artigo recolhido no livro Aspectos da Música Medieval no Ocidente Peninsular, vol. 1 (Lisboa, 2009)

Cantiga original Nom me posso pagar tanto

Nom me posso pagar tanto
do canto
das aves nem de seu som
nem d'amor nem de missom
nem d'armas - ca hei espanto
por quanto
mui perigosas som
- come d'um bom galeom
que mi alongue muit'aginha
deste demo da campinha,
u os alacrães som;
ca dentro, no coraçom,
senti deles a espinha.
E juro par Deus lo santo
que manto
nom tragerei, nem granhom,
nem terrei d'amor razom,
nem d'armas, porque quebranto
e chanto
vem delas tod'a sazom;
mais tragerei um dormom,
e irei pela marinha
vendend'azeite e farinha,
e fugirei do poçom
do alacrã, ca eu nom
lhi sei outra meezinha.
Nem de lançar a tavolado
pagado
nom sõo, se Deus m'ampar,
adés, nem de bafordar;
e andar de noute armado,
sem grado
o faço, e a roldar;
ca mais me pago do mar
que de seer cavaleiro;
ca eu foi já marinheiro
e quero-m'oimais guardar
do alacrã, e tornar
ao que me foi primeiro.
E direi-vos um recado:
pecado
nunca me pod'enganar
que me faça já falar
em armas, ca nom m'é dado
- doado
m'é de as eu razõar,
poilas nom hei a provar;
ante quer'andar sinlheiro
e ir come mercadeiro
algũa terra buscar
u me nom possam culpar
alacrã negro nem veiro.