Provérbios

Incluíndo links para as cantigas em que ocorrem

 

A boi velho não lhe busques abrigo
   Marinha Crespa, sabedes filhar, Pero da Ponte   (linha 5)

Amor com amor se paga
   Querri'agora saber de grado, Rui Queimado   (linha 23)

Cada casa favas lavam
   Vi eu estar noutro dia, João Garcia de Guilhade   (linha 5)

Castanhas saídas, velhas por souto
   Dom Foam disse que partir queria, João Garcia de Guilhade   (linha 4)

Como lhe cantarem, assim bailará
   Dom Marco, vej'eu muito queixar, Rui Queimado   (linha 20)

De longas vias, longas mentiras
   De longas vias, mui longas mentiras, Nuno Fernandes Torneol   (linha 1)

Expressão proverbial: arar com os lobos
   - Lourenço jograr, hás mui gram sabor, João Garcia de Guilhade, Lourenço   (linha 21)

Expressão proverbial: e saberedes quais peras eu vendo
   [Maria Pérez vi muit'assanhada,], Afonso X   (linha 8)

Expressão proverbial: o que perdeu nos alhos, quer cobrar nas cebolas
   Por en Tareija Lópiz nom quer Pero Marinho:, Afonso Soares Sarraça   (linha 10)

Expressão proverbial: pão de boda
   Per bõa fé, meu amigo, João Garcia de Guilhade   (linha 21)

Expressão proverbial: semear sal
   Mia madre, pois [a]tal é vosso sem, João Airas de Santiago   (linha 20)

Guardado é quem Deus guarda
   Ora nom sei no mundo que fazer, João Soares Coelho   (linha 9)
   Quero-vos eu dizer, senhor, Fernão Rodrigues de Calheiros   (linha 20)
   Tam muito vos am'eu, senhor, Pero da Ponte   (linha 25)

Lançar a pedra e esconder a mão
   Ai fals'amig'e sem lealdade, D. Dinis   (linha 5)

Longe dos olhos, longe do coração
   Senhor, por que eu tant'afã levei, Fernando Esquio   (linha 10)

Milho não semeia quem passarinhas receia
   Hoje quer'eu meu amigo veer, João Soares Coelho   (linha 16)

Não faças a outro o que não queres que te façam a ti
   Que muitos que mi andam preguntando, Pero Garcia Burgalês   (linha 27)

O mal e o bem, à face vem
   Ouç[o] eu dizer um verv'aguis[a]do, Estêvão Fernandes d'Elvas   (linha 2)

O que muito quer, a pouco devém
   Bem vej'eu que dizia mia senhor, Lopo   (linha 15)

Ora lá tangem e cá ora soa
   (Luis Vaasques, depois que parti), Alvaro Afonso   (linha 8)

Qual concelho, tal campana
   Deu ora el-rei seus dinheiros, Afonso Lopes de Baião   (linha 8)

Quem bem serve, bem pede
   Do que bem serve sempr'oí dizer, Estêvão da Guarda   (linha 2)

Quem espera sempre alcança
   Amor, nom qued'eu amando, Martim Moxa   (linha 33)

Quem leva o baio, não deixa a sela
   Dom Meendo, Dom Meendo, Afonso X   (linha 3)

Quem leve se vai, leve se vem
   Foi-s'o meu amigo daqui, Pero de Berdia   (linha 6)

Quem muito jura, muito mente
   Buscastes-m', ai amigo, muito mal, Juião Bolseiro   (linha 9)

Quisque se coita há, costas lhe dá
   Falei noutro dia com mia senhor, Airas Nunes   (linha 16)