Antroponínima

Pessoas referidas em cantigas

Lopo Diaz de Haro III



Descrição

Trata-se de Lopo Diaz III de Haro, oitavo senhor da Biscaia, figura importante da segunda metade do século XIII. Herdando o senhorio da Biscaia em 1254, e seguindo o alinhamento político de seu pai, Diogo Lopes, colocou-se de início ao serviço do rei de Navarra, ligação que foi breve, vindo D. Lopo a reconciliar-se pouco depois com Afonso X, que lhe confirmou as suas possessões. Tendo sido armado cavaleiro pelo infante herdeiro Fernando de La Cerda, após a inesperada morte deste (1275), Lopo Diaz passou a apoiar o partido do infante Sancho, futuro Sancho IV, contra os partidários do infante Afonso de La Cerda, filho do falecido. A retirada de apoio a Sancho por parte de Afonso X levou que D. Lopo tivesse visto os seus domínios confiscados em 1283. A morte de Afonso X no ano seguinte, e a aclamação de Sancho IV como rei de Castela, levou a que o senhor de Haro recuperasse as suas possessões e assumisse um lugar preponderante na corte. Cunhado do rei, pelo seu casamento com a irmã da rainha Maria de Molina, foi nomeado Mordomo real, Chanceler e Alferes-mor, tornando-se assim um dos homens mais poderosos do norte da Península, situação que havia de ser alvo de fortes contestações, e no seio das quais acabará assassinado, em 1288.

Cantigas que referem esta pessoa



Marinha López, oimais, a seu grado, Pero da Ponte
   (Linha 6): quer-s'ir ali em cas Dom Lop'andar,