Toponínima

Lugares referidos em cantigas

Portugal



Descrição

Um dos reinos ibéricos, independente a partir de 1143.

Cantigas que referem este lugar:



A mi dizem quantos amigos hei, João Fernandes de Ardeleiro
   (Linha 2): por que vivo tam muit'em Portugal,

A sa vida seja muita, João, jograr
   (Linha 2): deste rei de Portugal,

Ai amigas, perdud'ham conhocer, João Garcia de Guilhade
   (Linha 3): de Portugal: já nom ham coraçom

Dom Estêvam diz que desamor, Airas Peres Vuitorom
   (Linha 21): nem veerá jamais em Portugal.

Dom Foão, que eu sei que há preço de livão, Afonso Mendes de Besteiros
   (Linha 5): çou rab'e foi sa via a Portugal.

El-rei de Portugale, João Zorro
   (Linha 1): El-rei de Portugale

Já lhi nunca pediram, Afonso Mendes de Besteiros
   (Linha 21): "Em cabo de Portugal",

Joam Rodriguiz foi desmar a Balteira, Afonso X
   (Linha 14): e Alvela, que andou em Portugal;
   (Linha 13): se te deitam por en de Portugal,

- Joam Vaásquez, moiro por saber, Lourenço, João Vasques de Talaveira
   (Linha 13): se te deitam por en de Portugal,

Meu senhor rei de Castela, João Airas de Santiago
   (Linha 24): ir-m'-ei ao de Portugal.

Moir'eu aqui d'adessoriam, Pero Gomes Barroso
   (Linha 6): moir'eu do que em Portugal

Muitos a que Deus quis dar mui bom sem, Pero Guterres
   (Linha 22): E, senhor rei de Portugal, aqui

- O voss'amigo que s'a cas d'el-rei, João Airas de Santiago
   (Linha 8): que vos trage dõas de Portugal,

Os namorados que trobam d'amor, João, jograr
   (Linha 5): com'el-rei dom Denis de Portugal,

Quem me podia defender, Gil Peres Conde
   (Linha 18): porque falei em Portugal,
   (Linha 25): já ũa vez um rei em Portugal:

- Rei D. Afonso, se Deus vos perdom, Vasco Gil, Afonso X
   (Linha 25): já ũa vez um rei em Portugal: