Caldeirom
Jogral medieval

Nacionalidade: Incerta

Notas biográficas:

Quase nada sabemos sobre este autor, sobre o qual a (pouca) documentação que possuímos parece contraditória. Na verdade, Caldeirom tem sido tradicionalmente identificado como o jogral dos atambores com o mesmo nome mencionado nas contas de Sancho IV de Castela (1294). Sendo certo, no entanto, que este tipo de jograis, considerados hierarquicamente inferiores, não parecem ter sido compositores, é possível que esta identificação não seja segura. Neste sentido, mais recentemente, Ron Fernández localizou no Repartimento de Valencia (1239-1240) um Calderon, aí beneficiado, personagem que este investigador pensa poder ser o nosso autor. Embora esta cronologia mais recuada aparentemente contradiga a colocação da obra de Caldeirom nos cancioneiros, onde nos surge na parte final das cantigas satíricas, também é possível que seja este um caso de um autor acrescentado à recolha primitiva numa fase ulterior. Para complicar a questão, acrescente-se que, sendo certo que parece estarmos efetivamente perante um jogral, deve notar-se que o apelido Calderón foi usado também por uma linhagem de infanções de Navarra, aparecendo o seu eventual fundador, Fortun Ortiz de Calderón, senhor de Nograro, entre os beneficiados no repartimento de Úbeda e Baeza (1238).
De resto, se é certo que uma das suas cantigas (onde nos informa, aliás, ter vindo da Galiza, eventualmente de uma qualquer viagem), contém alusões políticas muito concretas, elas são, infelizmente, bastante difíceis de situar, não só pelo péssimo estado da composição nos manuscritos, mas também pelo facto de os conflitos entre os reinos peninsulares nela referidos (de Castela com Catalães e Aragoneses, como parece ser o caso) terem sido muito frequentes ao longo do século XIII, o que nos impede de termos certezas quanto à sua cronologia. Damos, na Nota Geral a essa mesma cantiga, uma sugestão a este respeito, mas que é meramente hipotética.
Acrescente-se ainda que, tendo em conta os inúmeros provençalismos presentes nessa mesma cantiga, D. Carolina Michaelis aventou a hipótese de Caldeirom ser de origem aragonesa, o que talvez não se coadune bem com o retrato pouco favorável que traça dos próprios aragoneses na referida composição.

Cantigas contrafacta de Caldeirom


Os d'Aragom, que soem donear

Original:

Seinhos, aujas, c'aves saber e sem, por Guillem d'Autpol