Vasco Praga de Sandim


Quero-vos eu, senhor, gram bem,
e nom hei al de vós senom
muito mal, si Deus me perdom.
Pero direi-vos ũa rem:
 5       todo vo-l'eu cuid'a sofrer,
        se m'end'a morte nom tolher.
  
E creede que a mim é
este mal, que me vós levar
fazedes, de mia morte par.
10Pero, senhor, per bõa fé,
       todo vo-l'eu cuid'a sofrer,
       se m'end'a morte nom tolher.
  
E pois por bem que vos eu sei
querer me fazedes assi
15viver, tam mal dia vos vi!
Pero verdade vos direi:
       todo vo-l'eu cuid'a sofrer,
       se m'end'a morte nom tolher.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador garante à sua senhora que, embora ela o faça sofrer, tudo suportará, se não morrer; e que este sofrimento já é muito semelhante à morte; e que a viu em triste dia.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 12, B 102

Cancioneiro da Ajuda - A 12

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 102


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas