João Soares Coelho


Ai meu amigo, se [vós] vejades
prazer de quanto no mund'amades:
       levade-me vosc', amigo.
  
Por nom leixardes mi, bem talhada,
5viver com'hoj'eu vivo coitada,
       levade-me vosc', amigo.
  
Por Deus, filhe-xi-vos de mim doo;
 melhor iredes migo ca soo:
       levade-me vosc', amigo.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

A donzela pede insistentemente ao seu amigo que a leve com ele e a livre da vida miserável que passa.
A cantiga deve pertencer ao ciclo de cantigas de amigo do trovador que aludem à tenaz oposição da mãe aos amores da donzela.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 688, V 290

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 688

Cancioneiro da Vaticana - V 290


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas