Pesquisa no glossário
  (linha 13)

João Soares Coelho


Falei um dia, por me baralhar      ←
com meu amigo, com outr', u m'el visse      ←
e direi-vos que lhi dix', u m'el disse      ←
por que lhi fezera tam gram pesar:      ←
5       "Se vos i, meu amigo, pesar fiz,      ←
       nom foi por al senom porque me quis".      ←
  
Por baralhar com el e por al nom      ←
falei com outr', em tal que o provasse,      ←
e pesou-lhi mais ca se o matasse      ←
10e preguntou-m'e dixi-lh'eu entom:      ←
       "Se vos i, meu amigo, pesar fiz,      ←
       nom foi por al senom porque me quis".      ←
  
Ali u eu com outr'ant'el falei,      ←
preguntou-m'el e por que lhi fazia      ←
15tam gram pesar ou se o entendia;      ←
e direi-vos como me lhi salvei:       ←
       "Se vos i, meu amigo, pesar fiz,      ←
       nom foi por al senom porque me quis".      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

A donzela conta que, para provocar o seu amigo, falou com outro diante dele. Confessando-lhe o amigo a mágoa que sentiu e perguntando-lhe o motivo para ter agido assim, a donzela respondeu-lhe que, se o tinha magoado, foi simplesmente porque lhe apeteceu.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 683, V 285

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 683

Cancioneiro da Vaticana - V 285


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas