D. Dinis


Chegou-mi, amiga, recado
daquel que quero gram bem,
que, pois que viu meu mandado,
quanto pode viir, vem;
 5e and'eu leda por en
e faço muit'aguisado.
  
El vem por chegar coitado,
ca sofre gram mal d'amor,
 er anda muit'alongado
10d'haver prazer nem sabor,
se nom ali u eu for,
u é todo seu cuidado.
  
Por quanto mal há levado,
amiga, razom farei
 15de lhi dar end'algum grado,
pois vem como lh'eu mandei;
e log'el será, bem sei,
 do mal guarid'e cobrado,
  
e das coitas que lh'eu dei
20des que foi meu namorado.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

A donzela anuncia alegremente a uma amiga que recebeu um recado do seu amigo, dizendo que virá vê-la o mais cedo que lhe for possível. E ela sabe que ele tem andado muito amargurado lá longe, pois só vive feliz perto dela. Reconhece também que o tem feito sofrer, motivo pelo qual acha justo dar-lhe algum prazer, quando ele vier. E decerto ele recuperará rapidamente.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Mestria
Cobras : rima a uníssona, rima b singular
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 590, V 193

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 590

Cancioneiro da Vaticana - V 193


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Chegou-me, amiga, recado 

Versão de Maria de Lourdes Martins