D. Dinis


 Grave vos é de que vos hei amor
e, par Deus, aquesto vej'eu mui bem;
  mais empero direi-vos ũa rem,
per boa fé, fremosa mia senhor:
5       se vos grav'é de vos eu bem querer,
       grav'est a mi, mais nom poss'al fazer.
  
Grave vos é, bem vej'eu que é 'si,
de que vos amo mais ca mim nem al
e que est'é mia mort'e meu gram mal;
10mais par Deus, senhor, que por meu mal vi,
       se vos grav'é de vos eu bem querer,
       grav'est a mi, mais nom poss'al fazer.
  
Grave vos est, assi Deus mi perdom,
que nom podia mais, per bõa fé,
15de que vos am', e sei que assi é;
mais par Deus, coita do meu coraçom,
       se vos grav'é de vos eu bem querer,
       grav'est a mi, mais nom poss'al fazer.
  
Pero mais grave dev'a mim de seer
20quant'é morte mais grave ca viver.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Sabendo que o seu amor é doloroso para a sua senhora (que lhe pesa), o trovador garante-lhe que também o é para ele, mas nada pode fazer. E conclui dizendo que é tão mais doloroso para ele como a morte é mais difícil do que a vida.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 511, V 94

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 511

Cancioneiro da Vaticana - V 94


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas