Fernão Velho


Senhor que eu por meu mal vi,
pois m'eu de vós a partir hei,
creede que nom há em mi
senom mort'ou ensandecer:
5pois m'eu de vós a partir hei
e ir alhur sem vós viver.
  
Pois vos eu quero mui gram bem
e me de vós hei a quitar,
dizer-vos quer'eu ũa rem:
10o que sei no meu coraçom,
pois me de vós hei a quitar
[..............................]
  
E mal dia naci, senhor,
pois que m'eu d'u vós sodes vou,
15ca mui bem sõo sabedor
que morrerei, u nom jaz al:
pois que m'eu d'u vós sodes vou,
senhor que eu vi por meu mal.
  
E logo u m'eu de vós partir,
20morrerei, se mi Deus nom val.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador exprime à sua senhora o seu desespero por ter de partir. Morar longe dela levá-lo-á à loucura e à morte.
A composição continua a temática de uma cantiga anterior.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Mestria
Cobras singulares
Dobre: pois m'eu de vós a partir hei (I), e/pois me de vós hei a quitar (II), pois que m'eu d'u vós sodes vou (III)(vv. 2 e 5 de cada estrofe)
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 259, B 436, V 48

Cancioneiro da Ajuda - A 259

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 436

Cancioneiro da Vaticana - V 48


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas