Estêvão Faião


- Vedes, senhor: quero-vos eu tal bem
qual maior posso no meu coraçom;
e nom diredes vós por en de nom?
- Nom, amigo, mais direi-m'outra rem:
5       nom me queredes vós a mi melhor
       do que vos eu quer', amig'e senhor.
  
- U vos nom vejo, nom vejo prazer,
se Deus mi valha, de rem, nem de mi;
e nom diredes que nom est assi?
10- Nom, amigo, mas quero-mi al dizer:
       nom me queredes vós a mi melhor
       do que vos eu quer', amig'e senhor.
  
- Amo-vos tanto que eu mui bem sei
que nom podia mais, per bõa fé;
15e nom diredes que assi nom é?
- Nom, amigo, mais al me vos direi:
       nom me queredes vós a mi melhor
       do que vos eu quer', amig'e senhor.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Nesta cantiga de amor dialogada, o trovador confessa o seu amor à sua senhora, perguntando-lhe, receoso, se ela não o rejeita, e obtendo como resposta, não só a sua aceitação, mas ainda a declaração de que o amor é mútuo.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão, Dialogada
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 240, B 428, V 40
(C 428)

Cancioneiro da Ajuda - A 240

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 428

Cancioneiro da Vaticana - V 40


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas