Mem Rodrigues Tenoiro ou Afonso Fernandes Cebolhilha


Senhor fremosa, creede per mi
que vos amo já mui de coraçom,
e gram dereito faç'e gram razom,
senhor, ca nunca outra dona vi
5       tam mansa, nem tam aposto catar,
       nem tam fremosa, nem tam bem falar
  
come vós, senhor; e pois assi é,
mui gram dereito faç'em vos querer
mui gram bem; ca nunca pud'i veer
10outra dona, senhor, per bõa fé,
       tam mansa, nem tam aposto catar,
       nem tam fremosa, nem tam bem falar,
  
come vós, por que cedo morrerei.
Pero direi-vos ante ũa rem:
15dereito faç'em vos querer gram bem,
ca nunca dona vi nem veerei
       tam mansa, nem tam aposto catar,
       nem tam fremosa, nem tam bem falar!



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Elogio da amada: o trovador sente o seu amor plenamente justificado uma vez que a sua senhora é, entre todas, a que tem um olhar mais doce, a mais formosa e a que fala melhor.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Ateúda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 226, B 401, V 11

Cancioneiro da Ajuda - A 226

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 401

Cancioneiro da Vaticana - V 11


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas