Fernão Gonçalves de Seabra


Des que vos eu vi, mia senhor, me vem
o mui grand'afã e o muito mal
 que hei por vós; pero direi-vos al:
 ante que vos eu visse, doutra rem
5       sei que nom vira tamanho prazer
       como vej'or'a vos veer!
  
Des que vos vi, sei que a maior
coita do mund'est a que por vós hei;
 pero avém-mi o que vos ar direi:
10ante que vos eu visse, mia senhor,
       sei que nom vira tamanho prazer
       como vej'or'a vos veer!
  
Des que vos eu vi, mia senhor, me deu
gram coita Deus, cada que vos nom vi,
15e gram pesar; mas pero que mi assi
de vós avém, ante que vos viss'eu,
       sei que nom vira tamanho prazer
       como vej'or'a vos veer.
  
E desejand'eu aqueste prazer,
20des que vos nom vir, me fará morrer!



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Se por ela sofre grandes males, o trovador garante à sua senhora que nenhum prazer que tenha tido anteriormente se pode comparar ao que tem agora ao vê-la.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 215

Cancioneiro da Ajuda - A 215


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas