Pero Mafaldo


Ai mia senhor! Vêm-me conselhar
meus amigos, como vos eu disser:
  que vos nom sérvia, ca nom m'é mester,
 ca nunca rem por mi quisestes dar;
 5pero, senhor, nom m'en quer'eu quitar
       de vos servir e vos chamar senhor;
       e vós faredes depoi'lo melhor!
  
E todos dizem que fiz i mal sem,
ai, mia senhor!, de quanto comecei
10de vos servir; e non'os creerei,
 mentr'eu viver, nunca, por ũa rem:
ca, mia senhor, que mi fez e[n] mui bem
       de vos servir e vos chamar senhor;
       e vós faredes depoi'lo melhor!
  
15E mais me dizem do que me vos deu
por mia senhor: que mi fez i gram mal.
 Pois m'esto dizem, dizem-m'assi al:
"Non'a serviades, nem sejades seu."
Por tod'esto nom me partirei eu
20       de vos servir e vos chamar senhor;
       e vós faredes depoi'lo melhor!
  
E, mia senhor, conselha-me mui mal
quem mi o conselha; mais farei-m'eu al.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Se muitos dos seus amigos o aconselham a deixar de servir a sua senhora, pois é inútil, visto ela nunca lhe ter dado qualquer sinal de favor, o trovador garante-lhe que não desistirá e que cabe a ela decidir depois o que achar melhor. E se também lhe dizem que fez mal desde o princípio, ao decidir servi-la, ele acha que, pelo contrário, esse amor só lhe fez bem. São maus conselheiros, cujos conselhos não seguirá.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 369
(C 369)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 369


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas