Rui Pais de Ribela


Por Deus vos quero rogar, mia senhor,
que vos fezo, de quantas donas fez,
a mais fremosa nem de melhor prez:
pois todo bem entendedes, senhor,
5       entended'or'em qual coita me tem
       o voss'amor, porque vos quero bem.
  
E se o vós, mia senhor, entender
esto quiserdes, haveredes i,
a meu cuidar, algum doo de mim;
10pois vos Deus fez tanto bem entender,
       entended'or'em qual coita me tem
       o voss'amor, porque vos quero bem.
  
E mia senhor, tempo seria já
de vos nembrardes de me nom leixar
15em gram coita, com'hoj'eu viv', andar.
 E mia senhor, vel por mesura já,
       entended'or'em qual coita me tem
       o voss'amor, porque vos quero bem.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador pede à sua senhora, a mais formosa e honrada e também a que entende tudo muito bem, que entenda o sofrimento que o seu amor lhe faz padecer. Se o entender, decerto terá compaixão dele.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Dobre: senhor, entender, já (vv.1 e 4 de cada estrofe)
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 186, B 337
(C 337)

Cancioneiro da Ajuda - A 186

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 337


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas