Anónimo 2 ou João Peres de Aboim


[...] que me vós nunca quisestes fazer,
em que me vistes, de me mal querer.
  
Por Deus e por mesura e por mi,
dizede-m'esto que vos vim rogar!
5E tal rogo nom vos dev'a pesar,
 e terrei que me fazedes bem i.
Por aquesto que vos rogo, senhor,
dizede-mi-o, ca vos nom jaz i mal,
nem vos rog'eu que me digades al,
10e terrei que me fazedes amor.
  
E vedes por que o quero saber:
por me guardar de vos pesar fazer.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Precedida de uma lacuna no manuscrito, só estes versos finais nos chegaram de uma cantiga de amor, na qual o trovador faria uma pergunta à sua senhora (por que razão não lhe faz o bem?), pedindo-lhe aqui para responder.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Fragmento
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 180

Cancioneiro da Ajuda - A 180


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas