Rui Queimado


Direi-vos que mi aveo, mia senhor,
i logo quando m'eu de vós quitei:
houve por vós, fremosa mia senhor,
a morrer; e morrera... mais cuidei
5       que nunca vos veeria des i
       se morress'... e por esto nom morri.
  
Cuidand'em quanto vos Deus fez de bem
em parecer e em mui bem falar,
morrera eu; mais polo mui gram bem
10que vos quero, mais me fez Deus cuidar
       que nunca vos veeria des i
       se morress'... e por esto nom morri.
  
Cuidand'em vosso mui bom parecer
houv'a morrer, assi Deus me perdom,
15e polo vosso mui bom parecer
morrera eu; mais acordei-m'entom
       que nunca vos veeria des i
       se morress'... e por esto nom morri.
  
Cuidand'em vós houv'a morrer assi!
20E cuidand'em vós, senhor, guareci!



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador diz à sua senhora que, quando se afastou dela, pensou que iria morrer. E até teria morrido - mas ao lembrar-se que nunca mais a veria, não morreu. E assim, como conclui na finda, pensar nela quase o fez morrer e pensar nela fê-lo reviver.
Esta cantiga de amor, cuja razom terá que ser considerada semi-jocosa, terá constituído eventualmente o ponto de partida para a conhecida sátira de Pedro Garcia Burgalês Roi Queimado morreu com amor.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Dobre: mia senhor, bem, vosso mui bom parecer (v. 1 e 3 de cada estrofe)
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 141, B 262

Cancioneiro da Ajuda - A 141

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 262


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas