Fernão Garcia Esgaravunha


Meu Senhor Deus, venho-vos eu rogar
com a maior coita que nunca vi
haver a home: havede de mi
doo, Senhor, e nunca tal pesar
5       me façades, meu Senhor Deus, veer
       per que eu haja o corp'a perder!
  
Ca estou eu hoj'a mui gram pavor
de o veer, e meu sem est atal
 de vos rogar por est'e nom por al:
10que nunca tal pesar de mia senhor
       me façades, meu Senhor Deus, veer
       per que eu haja o corp'a perder!
  
 E bem sei eu, de pram, ca se fezer
mia senhor o que tem no coraçom,
15ca perderei eu o corpo; mais nom
tam gram pesar nunca, se vos prouguer,
       me façades, meu Senhor Deus, veer
       per que eu haja o corp'a perder!



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador pede a Deus que tenha piedade dele e que não lhe faça sofrer o que receia que esteja a aproximar-se e que o levará à morte: a rejeição aberta por parte da sua senhora.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 122, B 238

Cancioneiro da Ajuda - A 122

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 238


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas