João Nunes Camanês


De vós, senhor, querria eu saber,
pois desejades mia mort'a veer
e eu nom moir'e querria morrer,
       que me digades: que farei eu i?
  
5Com mia morte me seria gram bem
porque sei ca vos prazeria en;
e pois nom moiro, venh'a vós por en
       que me digades: que farei eu i?
  
Por mia morte, que vos vi desejar,
10rog'eu a Deus sempr'e nom mi a quer dar;
e venho-vos, mia senhor, preguntar
       que me digades: que farei eu i?
  
Por mia morte roguei Deus e Amor,
e nom mi a dam, por me fazer peor
15estar convosc'; e venh'a vós, senhor,
       que me digades: que farei eu i?



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Como a sua senhora deseja que ele morra e ele, embora também o deseje, não morre, o trovador pergunta-lhe o que poderá fazer.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 111, B 224
(C 224)

Cancioneiro da Ajuda - A 111

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 224


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas