Pero da Ponte

Rubrica:

  

Esta cantiga fez Pero da Ponte ao infante Dom Manuel, que se começa "E mort'é Martim Marcos", e na cobra segunda o podem entender.


Mort'é Dom Martim Marcos, ai Deus! Se é verdade
 sei ca, se el é morto, morta é torpidade,
 morta é bavequia e morta neiciidade,
morta é covardia e morta é maldade.
  
5Se Dom Martinh'é morto, sem prez e sem bondade,
 oimais, maos costumes, outro senhor catade;
mais non'o acharedes de Roma atá cidade;
se tal senhor queredes, alhu'lo demandade.
  
Pero um cavaleiro sei eu, par caridade,
10que vos ajudari'a tolher del soidade;
mais [queredes] que vos diga ende bem verdade?
Nom é rei nem conde, mais é-x'outra podestade,
  
que nom direi, que direi, que nom direi...



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Pranto de escárnio com um alvo duplo, já que a sátira é endereçado, conjuntamente, a este D. Martim Marcos e, na forma desviada que a rubrica explica, ao infante D. Manuel, irmão mais novo de Afonso X. Como se vê na cobra segunda referida na dita rubrica, a morte deste (pouco) saudoso Martim Marcos é apenas o pretexto para traçar o retrato de um outro senhor, "sósia" em vícios - e para, ao mesmo tempo, defender politicamente o soberano, então em conflito com o seu herdeiro, o infante Sancho, cujo partido D. Manuel apoiou.
Atendendo à cronologia deste conflito, e ao facto de D. Manuel (na cantiga, ainda vivo) ter falecido em 1283, a composição datará dos anos 1277-1282.
A composição foi editada por Lapa1 numa única estrofe (o que o leva a fazer a sugestão de que lhe faltaria uma segunda). Embora a sua disposição nos manuscritos não seja muito clara, estamos em crer que a edição em três estrofes e um finda, proposta por Panunzio2, será a mais provável.

Referências

1 Lapa, Manuel Rodrigues (1970), Cantigas d´Escarnho e de Maldizer dos Cancioneiros Medievais Galego-Portugueses, 2ª Edição, Vigo, Editorial Galaxia.

2 Panunzio, Saverio (1967), Pero da Ponte. Poesías, Bari, Adriatica Editrici.



Nota geral


Descrição

Pranto de escárnio
Mestria
Cobras monorrimáticas
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1655, V 1189

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1655

Cancioneiro da Vaticana - V 1189


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas